Os buracos nas rodovias são os principais defeitos observados nas estradas de todo o Brasil, por isso esse novo tipo de asfalto tem preços menores do que o comum, mesmo depois de cinco anos de uso não apresenta desgastes ou fissuras.

O Asfalto-borracha é um asfalto modificado por borracha moída de pneus. Além de ser uma forma nobre de dar destino aos pneus inservíveis, resolvendo um grande problema ecológico, o uso de borracha moída de pneus no asfalto melhora em muito as propriedades e o desempenho do revestimento do asfalto.

 O Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus Inservíveis, coletou e destinou de forma ecologicamente correta em 2010, mais de 300 mil toneladas de pneus velhos que não seriam utilizados. Numa massa de asfalto podem ser utilizados 20% de borracha moída.

 Diversos países já utilizam o processo, em boa parte da malha rodoviária. São eles: Estados Unidos, África do Sul, China, Austrália, Suécia, Holanda, Espanha, França, Japão, Colômbia, Chile. No Brasil ainda não há projeto de lei tramitando no Congresso Nacional que obrigue a inclusão da borracha no cimento asfáltico. Existe apenas uma resolução do CONAMA (n°258/99) que determina que as empresas fabricantes e as importadoras de pneumáticos são obrigadas a coletar e dar um destino ambientalmente adequado aos pneus inservíveis.

Entre as diversas vantagens, podemos citar as principais:

  • Alta elasticidade;
  • Alta resistência ao envelhecimento;
  • Alta coesividade;
  • Excelente relação benefício/custo;
  • Reaproveitamento de um resíduo que duraria cerca de 600 anos para se decompor.

Fonte: Tnh1